segunda-feira, 17 de julho de 2017

A ficção ataca a realidade (Saga Mudanças)

Resultado de imagem para embrulhar decanterAvança-se na pilha de jornais:
embrulha copo,
envolve decantador
(por que raio é que deitei a porcaria da caixa fora?
acomoda chávena
 - e eis senão quando -
surge a necrologia 
e lá fica a gente, em pausa, apiedada daqueles desconhecidos
- este era tão novo; aquele tinha filhos; esta não ficou lá muito bem na fotografia, bem podiam ter-lhe escolhido outra, ao menos nesta horinha -
a imaginar-lhes vidas, relações, profissões, percursos; enfim, eu escrevia um romance a partir de uma página destas!
Resultado de imagem para conjunto de chá de brincar(Aliás, eu escrevo, mentalmente, enquanto acomodo as coisas nas caixas de cartão.)

As mudanças têm momentos irritantes,
de fazer cócegas nos nervinhos da gente,
como ter de acomodar loiça pequenina das bonecas, tal como se acomodou a grande, da vida real.
De repente, apercebo-me (medo!) - as Barbies, os Nenucos e as Barriguitas estiveram a conspirar contra a minha eficiência. Por conseguinte, no quarto da minha filha,
toda uma outra casa a empacotar,
com direito a roupinhas, calçado, ferramentas, acessórios de cabeleireira, utensílios de puericultura, instrumentos de medicina, electrodomésticos (juro que carreguei com uma máquina de lavar roupa em miniatura)... ou seja, não apenas uma casa, mas várias, uma cidade inteira para dentro de MAIS caixotes. Aaaaghhhh!

A ficção ataca a realidade e a vítima sou eu!!!!

Sem comentários:

Enviar um comentário